Cantadas Fora do Tom

Ele fala pra ela sem nenhuma pretensão:

- Vamos tomar alguma coisa?

Ela responde toda sorridente:

-O que?

Ele já cheio de intenções:

- Um banho gostoso, por exemplo, gata.

A Senhora dos Anéis

As 13 horas de cada dia
toca a companhia e abre a porta
quase ao mesmo tempo.
Sempre com uma massa na mão
Macarrão, sopa de estrelinha...
Tira os anéis, escorre a água
Molhos coloridos por cima.
Repõe os anéis, senta
E se celebra aquele momento
com um bom vinho de mesa

- Roma non é bella stando a casa!

A vida de perdas e ganhos.
Perdi por uns dias a liberdade
Das ruas de Roma
Desde que peguei esta gripe italiana
Porém ganhei uma Mamma de 85 anos.

-Se conheço minha mãe
Ela trará almoço para você.
Disse meu amigo Fabio

Da janela, um belo sol
E pessoas encapotadas passeiam.
Lâmpada de geladeira
Que brilha, mas tudo ali é frio.

Menos aqui na casa de Fabio
Nas visitas vespertinas daquela senhora.
Não sei o nome dela, foi apresentada como Mamma

“lavoro fino alle 6.
Se ce la frebbre chiamare:
3289474932 - Mamma”

Ontem Nadia me presenteou um anel com uma estrela
Para que eu levasse para minha mãe no Brasil
Enquanto comíamos, mostrei na palma da mão
o anel para Mamma. Antes que eu explicasse sobre o anel
percebi que seus olhos brilharam e ...

- Essa é a estrela que faltava na minha àrvore de natal. Muito obrigada!

Colocou no dedo, com todos os outros.
Completou meu copo com vinho branco
E brindamos...
às estrelas.

Roma, 21 de dezembro/ 2007

Minhas Frases Deles

Como diz Ali: "Se não aguenta brincadeira, não desça para o play"

Como diz Guga: "Depois do Devolva meu Bahia, agora é Devolva Minha Fonte Nova"

Como diz Bel: "A casa do Bahia caiu"

Como diz Sacha: "Eu não acredito em ETs, eles são mentirosos"

Como dizia Covas: "Espero que o ano que vem seja muito melhor que o que passou e bem pior do que o que virá"
...depois de colocar o último enfeite em sua árvore de natal,

ela se pergunta:

- Então é natal, e o que você fez?

Pra quem não sabe!
Está acontecendo o Festival 5 minutos, durante essa semana 10 a 15 de Dezembro.
Programação completa: www.dimas.ba.gov.br
Compareçam!

Contos do vigário

- O senhor me deixe ir aqui, que isso é promessa!
- É perigoso, dona Astrogilda e a procissão é longa.
- Em nome de Jesus, me deixe aqui, pe Manuel, a Santa mesma há de me proteger.
E lá se foi ela, do alto dos seus 83 anos, ainda mais alquebrada pelo tempo e hoje pela posição assumida embaixo do andor de Santa Bárbara.
O Pelourinho era uma língua de fogo, que saída Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos ruborizava o Pelourinho de devoção e piedade:
“Santa Bárbara, luz divina, filha da Virgem Maria....”
O Terreiro de Jesus fez-se palco de luxúria e sedução: em cima dos saltos, sob as maquilagens e transbordando sensualidade os tavestis chegam para reverenciar a Santa. Uma piscada aqui, uma cantada acolá e viva Santa Bárbara!...
“Os devotos de Santa Bárbara, no mundo têm grande alegria”.
Descendo a Ladeira da praça o acará corria de mão em mão, trazidos por uma obreira, que pagava promessa feita pela irmã de sangue, levada por um gringo para Milão, onde abriu o seu negócio.
- Ta presa, a coitadinha, mas foi pura covardia o que fizeram com ela; a menina nunca nem fumou. Explicava, com a fotografia emoldurada da irmã num braço e a Bíblia Sagrada e a Folha Universal no outro.
Na porta do quartel do Corpo de bombeiros, saraivada de fogos e uma batalha única: os militares tentam em vão retirar o andor das mãos do povo.
- Ela é padroeira dos bombeiros e nós sempre entramos com ela no quartel. Explica um dos homens do fogo, com o uniforme vermelho de gala.
- Eu não saio daqui nem morta! Gritava dona Astrogilda pro capitão, que finalmente se rende e deixa que o próprio povo adentre o quartel com a Santa nos braços.
O soar das sirenes é abafado pelo ylá dos orixás que respondem.
- EPARREIIIIIIII!!!!!!!! Grita o povo em êxtase e centena de Yaôs, médiuns, e iniciados entram em transe, felizes quando Iansã toma conta dos seus corpos.
- Reiiiiiiiiii !!! É o ylá mais ouvido, anunciando a presença do orixá dos raios e trovões, manifestado em seus filhos e filhas.
Chapado no crack, um menino de rua, fugiu com as sandálias vermelhas de dona Astrogilda, também incorporada, bailando agora soberana no pátio do quartel.
- Agô, minha mãe, pediu licença o sargento, Ogã confirmado de Pomba gira, enquanto ajudava a tirar os coturnos do capitão, também em transe e já adornado com um laço vermelho na cabeça, feito com o pano da costa de uma gringa que trazia seu rasta a tira-colo.
- Cadê as Equedis???
- Tão na sede da Associação das prostitutas, ajudando a cortar os quiabos. Respondeu Cida, a velha presidente, eterna responsável pelo caruru.
Na boca da madrugada comadre Mariá, samadadeira de Itapuã, pediu licença à roda e levou pelo braço pe Manuel, de quem era sogra, graças ao seu filho caçula, o presbítero Jorginho de Logun.
- Esse caravinho é forte com quê, seu vigário, mas lá em casa eu faço um chazinho de alumã e isso passa. Segura minha rosa vermelha que Santa Bárbara mesma há de acompanhar a gente até em casa. Afinal de contas, a festa é dela.
A Senhora dos raios incendiou novamente a cidade onde todo mundo é de Oxum, salvo no dia 04 de dezembro.
Eparrei Loiyá!

Contos do vigário

- Rapazes, vocês estão pensando em transar aqui mesmo?!!!
Um riso amarelo ocupou o lugar da resposta, enquanto ambos se vestiam apressados nos fundos da sacristia.
Aí o velho padre Hugo tirou do bolso da batina surrada e puída, um saco amarelado e ofereceu:
- Então, em nome de Deus e das águas, usem essas camisinhas.
FELIZ DIA INTERNACIONAL DE LUTA CONTRA A AIDS PARA TOD@S.
A vida em primeiro lugar!
Lá eu estava, completamente nua procurando por minhas roupas espalhadas pelo chão do seu quarto. Enquanto você, falava ao telefone com ele, toda formosa, naquele papinho de namorado. Eu engulo todo meu ciúme impróprio para tal situação, e me conformo em ser apenas a sua terceira pessoa do singular de um cinismo plural.
Você é uma acomodada e dissimulada, e talvez por isso me apaixonei.


E hoje na vitrola, Janis não cansa de cantar... "maybe"


(...)

7 anos

Ela olha para o crachá da vendedora da loja de departamentos e arregala o olho espantada.

Olha para a mãe como quem diz, sem precisar dizer: "Minha mãaaeee, olhe isso"

A mãe discretamente passa o olho no crachá da vendedora para entender o que está acontecendo, disfarça, olha as roupas do cabide e faz cara que não está nem aí.

A garota não aguenta, pega o crachá da vendedora, olha para ela, com aquela cara de menina sapeca e pergunta:

- É BUCETILDES MESMO É?

Dê seu texto

Meu amigo Ricardo Castro estava fazendo uma caminhada na praia do Buracão do Rio Vermelho (Salvador), em um dia de quarta, praia bem vazia, quando de repente viu se aproximando o nosso ídolo Chico Buarque. "Preciso pensar algo bem inteligente pra dizer ao Chico" pensava meu amigo...

O que vc diria nesta situação? ou Complete o diálogo, que depois eu conto o que aconteceu.
Sento na calçada e espero meu amor chegar.E o tempo se arrasta nos passos daquela senhora.Nessa tarde de verão, aqui espero.É outono e o amor eu não supero.É primavera e meu olhar continua perdido e sincero.É inverno e de novo me desespero.Continuo esperando pelo cheiro de ilusão no ar.Por sua boca que me nega.Por sua razão de não me amar.Por tudo que me fez te esquecer.Mas sinto que espero.Ouvindo pela rua sons de bolero.Esse amor que dói, mas que eu quero.

Fonte Nova

- Foram sete pessoas mortas e mais de 50 feridas!
- Todos caíram?
- Não, caíram muitos mais:
- ???
- O Governo do Estado, o poder Judiciário, a SUDESB, a Federação Baiana de Futebol, os cartolas do Baêa...mas todos estes sabem muito bem como COMPRAR a própria ressurreição.
QUEM É QUE VAI PAGAR POR ISSO???

Cantadas Fora do Tom

Ele está na festa vendo quem vai caçar.

Avista uma presa e sorridente dá uma bola de ping-pong para ela.

Ela olha para a bola e para ele sem entender. E ele todo galante explica:

- É pra você perceber que eu estou te dando bola.

Rapadura

Este personagem que adoça os meus dias é de carne, osso e belezura e hoje faz aniversário. Tudo pra vc Rapadura!
Agradeço a inspiração deste cartum a Gigi Carioca, bjo grande.

Malassombrado

Seria a onda da erva ou a galera estava mesmo aplaudindo?...
Shirley Hilston saiu das águas do Porto da Barra se achando toda: meio zonza e sem entender o som das palmas vindas da areia apinhada de gente, cores e fumaça, naquele fim de tarde - início de verão - de uma quinta-feira qualquer.
Ajeitou a tanga ourisco (que só cobre o cu e o risco) e saiu bonita, protegendo com a vida as mechas louras do mega-hair cuja escova definitiva ainda não acabara de pagar.
Agradeceu aos primeiros aplausos, e eles cresceram ainda mais, seguidos de fiu-ti-fius e gritos ininteligíveis ao seu ego.
Correu pro lado do Forte e novo agradecimento, com ainda mais palmas e saraivada de assovios. Aí se deu de bem e saltitou (como em dias de miss Bahia gay) pro outro lado da praia, com braços abertos, cabelo ao vento, retribuindo em beijos aos aplausos que lhe dirigiam. Repetia bethânicamente:
- Obrigada senhores! Obrigada senhores!
A primeira latada na testa negra, a fez cair na real. Logo ela que não pode ver sangue. Uma casca de coco bateu nos seus pés, arrancando esmalte, unha e lágrimas, que um mauricinho bombado sustou, gritando com a multidão:
- Sai da frente seu viado! Tá atrapalhando o por do sol, sinha porra!
Coisa mais besta ficar batendo palmas prá um sol vermelho que mergulha na baía...viajou Shirley Hilston, enquanto respondia em alto e bom tom para a sua platéia à beira-mar:
- O que é coisinho? A praia é pública viu? Quem não gostou que se mude.
A caminho do Pronto Socorro, ainda confundia a sirene da SAMU com o coro que caiu sobre ela com chuva de latas, pedras, cocos, garrafas e paus de barracas:
- BICHA! BICHA! BICHA! BICHA!
Rastro de sangue, fumaça e nenhum aplauso mais.

Desabafando...

Hoje me vi em um reflexo de um vidro de carro. Me assustei observando minhas entradas de noites mau dormidas. Noites em que o rolar de cama era quase sincronizado com meus pensamentos. O tic tac do relógio ensurdecedor parece que dava compasso a cada questionamento. Quando mais que de repente, me invade pelos sentidos, o seu cheiro. Aquele mesmo, num misto de desejo e pecado, que julgava anos atrás. A minha vida parece estar enraizada num passado, que mesmo que eu não queira, volta sempre com o intuito de magoar ainda mais minhas feridas inutilmente cicatrizadas. A cada dia que passa eu me sinto atolada de sentimentos incompreensíveis à você. Cansada de ter que bater a cabeça na parede diante de minha teimosia. E ainda que revisados os fatos, me escondo entre nuvens de dúvidas. A incerteza paira no ar em que respiro. E eu respiro um amor coberto de poeira.

Confissões

Vc entra no blog, espia, fecha a tela quando vem alguém e abre novamente; lê postagens passadas e não as tira da cabeça - no ponto de ônibus ou nos banheiros. Vc morre de tesão por Dona Rola, e já pensa na própria lápide; vc dá seu texto e cantadas fora do tom, faz suas as frases deles, goza com Rapadura e com as canções de Marinaldo do Pau Miúdo para Nilzete da Fazenda Grande.
Você espia, finge que tá trabalhando, vira mexe e dá nova espiada.
Confesse. Vc é ou não é um/a
VOYEURISTA DO CARALHO ?
Minha é do tipo que dorme ouvindo aqueles radinhos de pilha, tão velho coitado, sintonizado na rádio sociedade AM. É do tipo que AMA ouvir desgraça na televisão, seu programa predileto é Varela, pergunto à ela se ela gosta de Bocão, ele diz que não, porque é plágio.Ela é do tipo, que ninguém sabe sua idade, nem meu pai sabe, esconde isso a sete chaves! Ela é a única que me coloca pra ir fumar no playground, e quando volto me dá uns tapas. Ela reclama comigo dizendo que tomo muito café, mas é quem me acorda as 5horas da tarde com café, o mais gostoso que já tomei. E ele é teimosa e reclamona, e já sei até a quem puxei.E segunda-feira almoçei com ela, e enquanto eu estava debruçada entre cálculos e teorias, ela vem e me dá um beijo na cabeça perguntando: " Denguinho quer alguma coisa?" Eu falo que agora não , e ela solta: "Gostando de ver minha predileta estudando, será uma grande administradora!" E ela foi a primeira que me disse que não tenho nada a ver como tudo isso.Ela é do tipo que toca piano. Já choramos abraçadas como filha e mãe, e outras como neta e esposa. Ela é do tipo único. E ela é minha única avó viva. Única e minha.
E amo muito.

De Marinaldo do Pau Miúdo para Nilzete da Fazenda Grande

Ai, ai, o mato, o cheiro seu

- Ai, ai, meu Deus, música o vivo no bar de novo, isso sim.

Um rouxinol no meio do Brasil

- Ainda estou pensando na primeira frase e ela me vem com essa que é bem pior.

O Uirapuru canta pra mim

-Pô, não tinha um Bemtevi, um Queroquero. Uirapuru cantando e pra você? Acho que isso é tóxico.

E eu sou feliz

-Ouvindo um Rouxinol e um Uirapuru no meio do Brasil, quem não é?

Só por poder ser, só por ser de manhã, manhã, manhã

- Acordar com você deve ser um saco, repetindo as coisas.

Manhã, manhã

-Páaaara, já ouvi.


Nessa clareira o sol se despe feito brincadeira

- Rapaz, é por isso que o povo começou a descer na boquinha da garrafa, quem aguentava isso?

Envolvendo quente a todo ser vivente

- Essa música é da mesma época da de Fagner com "quem dera ser um peixe". É igual, diferente, mas igual.

Da Terra e vai, canelada, pinholão, não, não, não, não

- Eu já tô indo, indo, indo, indo.

Não faço nada que perturbe a doida a louca passarada

- Daí derivaram as músicas tipo a paradinha, dinha, dinha, dinha.

Ou iniba qualquer planta dormideira

- Puta que pariu, que é isso?

Ou assuste as guaribas marinheiras

- Eu preciso de um dicionário de músicas de Fátima Guedes, aliás, desde a primeira frase, preciso urgentemente, vou ler em casa.

Encontra ponto com pardais urbanos

- Tá piorando, alguém me salve dessa música. Parece aquele filme de Hitchcock:A invasão do pássaros.

Tão felizes soltos dentro dos meus planos

- Ela fez isso tudo só para rimar planos com urbanos?

Mas boquiabertos que os meus vinte anos

- E com vinte anos?

Indóceis e livres como eu

Oxe, parou assim do nada? Cadê o final dessa maluquice, minha gente? Ela se picou e nem fez o fim da música. Chega pra mim também. Se nem a cantora ficou não sou eu que vou ficar.

Contos do Vigário

“Quando eu olhei para a Santa o sangue me fugiu das veias
Valei-me meu Padim Ciço e a mãe de Deus das Candeias.”
Ao ritmo das beatas, a procissão percorria as ruas São Tomé de Paripe, arrastando meio mundo de gente.
Lá pelas tantas o padre, já esverdeado, implora ao sacristão:
- Reza qualquer coisa aí com o povo que eu tenho que ir correndo no mato.
Meia hora depois, ainda agachado, com a batina amarrada na cintura e em busca de qualquer pedaço de papel, ouviu no megafone o anúncio do sacristão:
- Minha gente, vamos rezar mais um pouquinho, porque o monsenhor ainda tá cagando.
E o coro: “Valei-me, meu Padim Ciço e a mãe de Deus das Candeias.”

4 anos

Ela e o irmãozinho maior de 7 anos estão na sala. Ele vê que ela está lendo e fala pirraçando:

-Você ainda não sabe le-er.

Ela:

- Sei.

Ele um pouco irritado:

- Sabe nada.

Ela faz uma caretinha. E sem nem olhar para o irmão, segue de cabeça baixa olhando o livro e falando baixinho. Só pára um instante, e cheia de si, diz:

- Sei, sim.

Ele já se irritando com a cena, fala para a mãe que chega:

-Oh mãe, ela não sabe ler e diz que sabe. Até o livro tá de cabeça pra baixo.

A mãe compreensiva diz:

-Oh filhinha, você ainda não sabe ler, mas logo vai aprender, viu.

Ela faz uma caretinha e sem tirar os olhos do livro, fala:

-Eu sei ler.

Ele, agora com o "aval" da mãe, diz para irmã, já bem bravo:

- ENTÃO LEIA.

Ela pára de falar baixinho o que está "lendo" e diz:

- Só sei ler para mim mesma.

Ponto de ônibus

- Que carro é esse motô?
- Mercedes Benz.
- Não brinque não, seu gaiato... Me diga, ele vai pro cemitério do Campo Santo?
- Não senhora!!! Passa na frente.
- Tá bom. Posso entrar pela sua frente?
- Só se eu também puder entrar pela sua.
- Feche a cara, vu! Meu marido também vai entrar.
- Ah... mas seu marido, ele entra é por trás.

Na praia

Vendedor de queijinho: "Assa aê, Assa aê, olha o queijo aê!"

Vendedor de Cigarro: "Ciiiiii Ciii gaaarro!"

Vendedor de Camarão: "Eu sou João, Sou João do Camarããão!"



Cada um no seu cada marketing.

Transversal da Av. Manoel Dias da Silva
Numa tarde de domingo qualquer
e feições sorridentes de uma qualquer infância.
Os esquecidos.

Confissões

Sabe, eu sou o primeiro cara pra quem ela vai dar, depois que enviuvou.
O falecido, meu amigo e colega de quartel, era pessoa muito dada. Quero prestar uma homenagem a ele, seu vigário; o que seria melhor, eu usar um preservativo preto ou dar uma a meio-pau?

Minhas Frases Deles

Como diz Ruy: "Ele se acha a pica que matou Cazuza"

Como diz Cata: "Gosto é que nem cú: cada um tem um"

Como diz Cata: "Gosto é que nem prega: tem gente que não tem"

Como diz Mandela: "Você não é amado porque é bom, é bom porque é amado"

Como diz Lana: "Um beijo pra você e ostensivo a toda sua família"

Como diz Zezo: "..rogai por nós pescadores, assim como nos perdoamos..."

Dê seu texto

complete o diálogo

Cantadas Fora do Tom

Ele pergunta pra ela todo-todo:
- Você tem goibada nessa barriguinha?

E completa, vendo a cara de espanto dela:
- Porque você parece um sonho.

Vanderlei Carvalho

"Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós." (S.Exupéry)

A Vanderlei Carvalho, jornalista, cantor, blogueiro e amigo ducaralho, que dia 02.10 partiu eternamente, sem tempo para se despedir.

Dona Rola


Aula de Matemática

Primeiro horário, 7 horas da manhã, Segunda-Feira:
Entre Ações e obrigações; titular e lançador;




EU = {Ø}




...

Contos do Vigário

Vento a favor, fila do orelhão, sobrou prá mim a conversa:
- Menas verdade sua, que eu nunca fuidemal com vc, nem nunca meti minha língua nas suas intimidades. Porque não sou de meter o pau pelas costas de sinhô ninguém. Meto o pau é pela frente. Agora, engolir sem reclamar, isso é que não vou mermo. Me inclua fora disso!!!!!!! O QUÊ?!!!!!!! Olhe, feche seu cú comigo fora! Alô? Alô? ALÔ!!!!!!!!!!!
Desligou.
E eu, ligado, ainda em dúvida: quem é que tava do outro lado da linha?

Lápides - Reeeedição Ampliada

A minha vai ser :
Já fui, Banda Mel.

Ricardo:
Se eu pudesse ficava mais.

Val:
Desculpe a minha existência.

Anônimo:
Este lado para cima.

Marcos:
Pô, tava massa.

Ualace:
É! Desta vez me fudi, mas não se preocupem, eu voltarei.

Anônimo:
Está escuro aqui.

Danielle:
Se eu não voltar em 15 minutos, já era.

David:
Por quê parou? Parou por quê?

Dani:
Tá olhando o que?

Biliu:
Tire o olho, senão eu puxo o pé.

Bob:
Fui dar um rolé e já volto.

Catarina:
Se saia que eu tô quebrando.
(em homenagem a Aline)

Marcelo:
A PARADINHA...DINHA, DINHA, DINHA, DINHA, DINHA.

Roberta:
Se eu soubesse que era tão difícil viver tinha pedido para não nascer.

Patymichele:
"Valeu a pena, ê ê! Valeu a pena, ê ê!"

Ali:
Eu disse pá qui vim, mas não sei pá onde eu vou: tcháaaaaaa!!!

Marcelo:
Calor da porra

Fabio:
VEM COMIGO!

Djaman:
A gente se vê logo, logo

Benício Golfinho:
Logo mais você me esquece

Thiago:
Um Martine com uma azeitona, por favor.

Joana:
Quem está tomando conta do lojinha?

Joana:
Aqui jaz joaninha,
que a família descanse em paz.

Márcia:
Uma coca-cola num copo ALTO, com MUITO gelo E SEM LIMÃO.

Alfredo:
Quando eu morrer quero uma cova bem funda, para quem passar não pisar na minha bunda.
ENFIM, NÃO TÔ PRÁ NINGUÉM.

Patricia:
Aqui jaz eu morena, jovem e diva.

ETC:
Ói, na moral. Da outra vez, quero vir cachorro.

Cartaxo:
Dá tempo de pedir a saideira?

Johnny:
Agora que morri tão chorando? Nada disso, quero é ALEGRIA, festa, farra pra lembrarem de mim.

Bruno:
Desculpe ter lhe visto.

Kiki:
Tem coisas que só a Philco faz por você.

Alyne Costa:
Fiz o que pude.

Cau :
O último que sair feche a luz.

Anaïs:
O diabo que se cuide, tô chegando

Daiane:
Fui!

Anônimo:
Venha!Venha!Venha!

O homem dos cadernos grampeados:
Aqui jaz aquele que dela sempre fugiu.
Que dela só escapa agora.

Fabio:
Ô mãe, acende a luz aí.

Diogo Lyra:
Finalmente alguém calou a boca dele.

Cordeiro Mau:
Eu sou você amanhã.

Daniel Soto:
Aceita-se moças solteiras, mandar fotos.

Felippe :
Advinha quem é?. Hehe

Vini.bear:
Aqui jaz mim.
ou
É a parte que me cabe neste latifúndio, é a terra que queria ver dividida.

Rodrigo Rangel:
A de fora é minha

Raquel:
Rá. Tua hora também vai chegar.


Se quiser deixar a sua, é só escrever aqui que vai ficar para a posteridade.

Notícias Populares

Simbora que o mundo tá acabando ou
O que você faria antes do fim do mundo?


Um asteróide está na rota de colisão da Terra e você tem uma hora de vida. O que você faria com seus últimos 60 minutos?

Sem grandes surpresas, a maioria dos britânicos questionados em uma pesquisa, 54% disse que passaria seus últimos momentos com seus parentes e amigos queridos pessoalmente ou no telefone.

A pesquisa, entretanto, revelou uma grande onda hedonista: 13 % dos entrevistados sentariam e esperariam o inevitável com uma taça de champanhe.

Sexo seria a opção de apenas 9%, enquanto 3% rezariam.

25% disseram que comeriam algum alimento rico em gordura. Outros 2% decidiriam que é hora de começar a roubar.

A pesquisa foi conduzida pela Ziji Publishing para marcar o lançamento do livro "Cloud Cuckoo Land", estréia do escritor Steven Sivell, que "usa a clássica premissa de uma inevitável colisão de um meteoro como uma metáfora para ameaças à raça humana".

Desabafando...

Tenho me deparado com cada situação embaraçosa.Que me cabe me perguntar às vezes.
Se os relacionamentos(de amizade, amoroso, em faculdade ou até de trabalho) são descartáveis ou as pessoas que são descartáveis( lê-se interesseiras, mesquinhas, vazias e inúteis) ?

Desesperador...

Mas eu penso e desejo que todos relacionamentos, pessoas e a sociedade, se renovem todos os dias.

Êa!

Em cartaz

Nilo Peçanha. BA
Foto- Marcos Cajaíba

Notícias Populares

Menino ganha carrinho turbinado com cocaína ou
Criança ganha brinquedo contendo droga e dinheiro falso.


Uma criança recebeu um carrinho de brinquedo com 50 gramas de cocaína e 40 notas falsas de R$ 50. O brinquedo tinha sido entregue pela Receita Federal para a Escola Pingo de Gente, em Eldorado, que repassou para as crianças como presente de Dia das Crianças.

O pai do menino percebeu que o carrinho não estava funcionando e abriu o brinquedo para verificar o problema. Sebastião Vieira Tobias encontrou então R$ 2 mil em dinheiro falso e a cocaína colocada dentro de um preservativo.

Ele acionou a Polícia da cidade e comunicou o caso informando que os brinquedos tinham sido repassados pela Receita Federal para a Prefeitura e depois pela escola. O pai do menino registrou boletim de ocorrência.

Na Fonte Nova

O BaVi rolando: 1X1. A torcida nem piscava esperando o desempate. Na frente dele pára o menino do picolé, que resolveu ver se o próximo grito era do Meubaêaminhaporra ou do Meuvitorinha (para você ver a diferença de atitudes dessas torcidas é só começar a analisá-las linguisticamente).

Ele não agüentou aquele garoto na frente do lance e gritou:

- SAI DA FRENTE COM ESSE PICOLÉ DO DIQUE.

O garoto se voltou para trás e foi logo se defendendo:

- Mas minha mãe ferveeeuu.



Com a colaboração de Lucas Ferraz

Contos do vigário

Duas horas de relógio depois o Buzú chegou socado e ela, toda já vencida, não contou conversa, subiu com seus dois balaios – um que Deus lhe deu e o que encheu com a chêpa em São Joaquim.
Aperta aqui, licencinha ali, deu testa ao cobrador por conta de um troco de nica e virou na porra com um muleque, todo armado, querendo fazer terra. Descansou os quartos foi quando um seu irmão de santo lhe deu lugar bem de junto da borboleta.
Um freio de arrumação e acordou azuada, na primeira rótula das Cajazeiras, puxando que nem louca a cordinha do sinal:
- Vixe Maria! Me arrombei!!!!! PERAÊEEEE MOTÔOO! Crendeuspai! Perdi meu ponto!.. PERAÊEEE MUZERA!!!!!! PÁRA ESSA PORRA, em nome de Jesus, CARALHO!!!!!!!!
Virada no istopô, já não era mais ela. Roxa de raiva por dentro e com gosto de sangue na boca, foi gritando pro mundo enquanto descia:
- VOCÊ NÃO VIU EU PUXAR ESSA MERDA NÃO, SEU FILADAPUTA?
E o motorista, na maior gaiatice:
Colé comadre, você puxou foi a descarga da centina; a merda vai descendo é aí agora.

Minhas Frases Deles

Como diz Josias: "Qualquer alteramento, me avise"

Como diz João: "Quem acha tudo gozado é faxineira de motel"

Como diz Zé: "Dona, modéstia a parte, mas vai faltar cimento"

Como diz Roberto: "Sou pontual que nem meu pai, que deve ter sido inglês na outra encadernação"

Como diz o preso recapturado: "Eu não fuji não, doutor, eu avistei o buraco e fui mimbora"

Du caralho

Ele vai achar careta, mas sendo hoje o dia do aniversário do nosso chargista MARCELO MENDONÇA, a minha postagem só pode ser:
Celão, vc é mesmo DU CARALHO!

A comunidade Marcelo Mendonça no orkut é:

http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=32422500&tid=2560549278040118076&start=1

Contos do Vigário

- Padre, lembra que confessei aquele desejo de enfiar meu pênis duro no moedor de carne?
- Claro...uma fantasia louca!
- Pois é, me pegaram no flagra e fui demitido do Açougue.
- MEU DEUS!...o moedor de carne!.....
- Que se acostumou e não sai mais lá de casa.

Notícias Populares

Inglaterra vai tirar a roupa das muçulmanas ou
Inglaterra quer proibir o uso de véu muçulmano que cobre corpo inteiro

Está cada vez mais comum ver as mulheres muçulmanas no Reino Unido levando os filhos às escolas ou andando pelas ruas cobertas, da cabeça aos pés, com vestes negras esvoaçantes que só contam com uma estreita abertura para os olhos.

E poucas coisas irritam tanto os britânicos quanto essa imagem. Muitas mulheres cobertas pela "burka" dizem que são alvos de assédios. Ao mesmo tempo, crescem as iniciativas no sentido de impor legalmente uma proibição do uso do véu muçulmano de corpo inteiro, que é conhecido como 'niqab'.

Nos últimos anos houve alguns exemplos do problema: um juiz de imigração disse a uma advogada vestida com um niqab que ela não poderia representar uma cliente porque, segundo ele, não dava para escutar a voz dela sob o véu. Uma professora que usava o niqab foi mandada de volta para casa pela escola. Uma aluna que foi proibida de usar o niqab levou o caso à Justiça, e perdeu.

David Sexton, colunista do "The Evening Standard", escreveu recentemente que o Reino Unido tem sido "excessivamente condescendente" em relação ao véu. "Acho que tal vestimenta, no contexto de uma rua em Londres é, principalmente ridículo, e além do mais diretamente ofensivo".

Algumas das mulheres, especialmente as jovens, que adotaram a vestimenta, admitem que o traje é uma expressão direta de identidade islâmica, que elas adotaram após o 11 de setembro de 2001, como forma de rebelião contra as políticas do governo Blair no Iraque e no Reino Unido.

"Para mim, não se trata apenas de uma roupa. É um ato de fé. É solidariedade", diz uma funcionária de 24 anos de uma companhia de radiodifusão em Londres. "O 11 de setembro foi um toque de despertar para os muçulmanos jovens", diz ela.

Quando está na rua, ela ouve com freqüência comentários agressivos. "Há algumas semanas uma senhora me disse: 'Acho que você parece uma doida'. Eu respondi: 'Como é que você ousa dizer às pessoas como elas têm que se vestir?'. Às vezes sinto que tenho que responder. O islamismo nos ensina que temos que defender a nossa religião".

Até mesmo algumas das mulheres que usam o niqab, como Faatema Mayata, 24, psicóloga e professora de estudos religioso, acham que há limites. "Como é que você pode ensinar quando está ocultando a face?", questiona ela, sentada com uma xícara de chá na sua sala de estar, sem usar o niqab, já que está no ambiente doméstico.

Ela usa o niqab desde os 12 anos de idade, quando foi enviada pelos pais para um internato de meninas. Segundo ela, o niqab não é, conforme muitos britânicos parecem pensar, um sinal de extremismo. Para ela o niqab diz respeito à identidade.

"Usar o niqab significa que você é bem avaliada e vai para o paraíso", disse Hodo Muse, de 19 anos de idade.

Contos do Vigário

- Chave só pra quem tá abastecendo, resmungou o frentista.
Corri e mirei bem na jante de uma arabaca estacionada ali no passeio, mas um saqueba do carrinho de café não contou conversa:
- Aê não, meu sinhô! É o ponto do acarajé. Quer arruinar a vendagem da moça ?...
Me piquei pr’um cacete armado defronte.
- Repare, tô reformando o quartinho do bar, o balde velho já não dava mais vencimento e resolvi trocar por uma latrina semi-nova que ganhei do meu vereador. Ano que vem tem eleição! Explicou Lero-lero.
Nem fechei o eclér. Parti embucetado prá de traz do muro da Igreja Universal e tava lá bem grande:
“Favor não mijar aqui, em nome de Jesus!”
Sem ver mais nada, molhei foi tudo, do favor ao Jesus, barrufando até o bozó arriado ali, no pé da parede.
A obreira não se deu. Enrolada no xale da maluca berrou da janela:
- Ópaisso?!!! Mijando no Bozó, seu padre ozado? Se assunte! Cadê o respeito pela religião duzotros? Vá reverter sua água benta na cabeça dos seus fiéis, seu possuído!
.............................................
- A paz do senhor Jesus, irmã... Respondi...amarelo e aliviado.

Sessão de Gala

Reis

Foi por acaso que passei pela Lapinha 10 anos depois justamente na noite de reis. Tinha acabado de sair de uma reunião ali perto. Então as luzes e a multidão que vinham do largo me lembraram que aquela era a Festa de Reis da Lapinha. Mais uma dessas festas de rua de Salvador de origem religiosa e destino pagodeiro. Resolvi observar de perto. Eram as mesmas luzes. Os adereços. O colorido sujo. As famílias pobres desta boa terra de merda, felizes com tantas luzes e apenas um saco de pipoca doce na mão. A festa estava ali. Parecia a mesma. Mas existiam as diferenças.

Meu estranhamento começou com o próprio largo. Arrancaram o bom e velho palanque de pedra do centro e puseram em seu lugar uma porra de uma pracinha igual a tantas outras que se vê por aí. Percebi também o número reduzido de barracas. Naquele tempo era uma barraca de cachaça emendada na outra. Com suas mesas e banquinhos de madeira coloridos. Serviam basicamente petiscos baratos em pratos de plástico e cerveja em copos lavados com água de bunda. Agora era uma barraquinha aqui, outra ali. Provavelmente tudo limpinho. Senti falta também do aglomerado de barracas de capeta. Meu primeiro porre de capeta foi numa festa de reis. Foi o capeta que me fez ser atropelado por um desses carrinhos de café coloridos. O carrinho tinha até uma buzina de kombi de verdade.

Perambulando pela porra da pracinha sem graça avistei uma mulata conhecida. Não lembrava o nome. Mas sabia que era a filha do meio de Seu Clemente, o verdureiro. Carregava um garoto nos braços que tentava puxar-lhe a blusa para dar uma mamada. Vai fundo, garoto. Provei desses peitos em outros tempos, atrás do murinho do sanatório. Tirando a mulata, não reconhecia mais ninguém. Foi quando uma mão bateu em minhas costas. Era Capenga. Sentamos numa barraca. Pedimos pititinga e caipirinhas.

- E essa careca, Paulinho?
- Não esquento mais. Me conta aí quais as novas.
- Tô com uma filhinha aí.
- De fuder.
- Daiana. A mãe que botou o nome.
- Tá com aquela mesma menina?
- A mesma, Daniela. Sempre fui preguiçoso pra procurar mulher.
- Mas ela é uma boa garota, Capenga.
- É verdade. Sabe quem é pai também?
- Quem?
- Rubalo. Tá com um menino. Bonitinho o sacaninha.
- É, tô sabendo.
- Davi também.
- Davi também é pai?
- É.
- Porra. Talvez então eu tenha chance também.
- Você sabe que Lorinho já tem dois, né?
- Tinha só aquela guria com a cara do Taffarel. Teve outro?
- Teve um menino agora. Vaca também tá com um neguinho aí.
- A camisinha não chegou aqui na Lapinha não, caralho?
- Os caras tão dizendo que só falta João ter o dele. Mas dizem que o ovo dele é goro.

Capenga e eu conversamos sobre outras amenidades. Até ouvirmos o rebuliço da multidão. Alguma coisa acontecia na frente da igreja. Pagamos a conta e fomos ver. Era o Padre Pinto. Trajava roupas estranhas e dançava o que parecia um ritual de candomblé. Mais aviadado do que nunca. Tinha o rosto maquiado. Algumas pessoas o aplaudiam. Outras, principalmente as beatas, faziam o sinal da cruz. Talvez minha vó também reprovasse aquele ritual. Mas não me incomodava. Sempre respeitei aquele padre. Certa vez ele encarou uma velha que nos xingava por jogarmos bola perto de sua janela. "Nenhum desses meninos da Lapinha são moleques. Batizei todos eles, e são todos meninos de família!" – dizia Padre Pinto. Agora ele estava ali. Rodando e rodando e rodando. Balançando os braços pra lá e pra cá. “Padre Pinto tá possuído!” – alguém gritou. Talvez a igreja da Lapinha não fosse mais a mesma. Não sei. Não entendo de igrejas. Mas diante daquela porra de pracinha sem graça, tanto faz. Deixei o Padre Pinto em paz com sua dança. Por sinal, foi logo depois que começou a tocar o pagode pela praça, que me despedi de Capenga e também daquela festa que eu não reconhecia totalmente. Antes, parei para dar uma mijada. Então descobri que, atrás da igreja, o fedor horrendo de mijo nos dias da Festa de Reis continua o mesmo.

Paulo Bono

*Publicitário, baiano, blogueiro e escreve para caralho. Confiram:
http://www.espalitandodente.blogspot.com/

Três Pontos

Se gosto de você? Vixxxxxeeeeee...

É preciso não morrer para dizer: nasci de novo...

O bom de namorar você é que sonho acordada...

Não sei se já é amor ou se ainda é paixão. Pode ser os dois de vez...

Se você apertar esse post sai mel...

Ensaio

Vadeia dois dois...

Maestro Zezinho, qual é a música?

"Eu sou um misto de cinemas, convertidos com funk de laje, desenhos japoneses e pelada de rua, doce de Cosme e Damião versus televisão, caixa de fósforo com MPC, sub-ciências, equações de um desastre previsível, eu sou um misto de ossadas indigentes ao lado do cadáver de Tim Lopes com fliperama violento de boteco, informação para desviciar os olhos versus a verdade, narco-deputados e um religioso ex-viciado, equações de um desastre previsível."


Essa música de F.U.R.T.O é só pra falar que no dia de Cosme e Damião, um juíz que concede regime semi-aberto a alguém que tem uma ficha criminal e psiquiátrica extensa, e que provavelmente no fim-de-semana vai sair e matar mais dois meninos(quase gêmeos) também merece ser condenado. E talvez, também precise de um exame psiquiátrico.

Malassombrado

- Tô que nem barco velho, me acabando pelos fundos. A diarréia não pára com nada.
- Já usou limão?
- Já, um grande, mas quando eu tiro...a danada continua.

Minhas Frases Deles

Como diz Cris: "Meus melhores beijos são seus."

Como diz Diogo: "Aquele que não tem medo da verdade coça o cu e cheira o dedo"

Como diz Bubba: "Quando Deus colocou o Homem na terra fudeu o layout"

Como diz Let: "Eu tenho várias mins"

Como diz Rico: "Passado é que nem cú, fica pra trás"

Ducaralho

Viagem minha ou nossa cidade anda muito zinha ultimamente?
O show foi bonzinho, a orla tá feiinha, a peça ruimzinha, o governo fraquinho, o pelourinho sujinho, os serviços miseraveiszinhos...
ÃO só nos buracos - e todo mundo tem um, joão! Ou no rabo de corrupçÃO - made in brasília e pirateada pelo brasil afora, na velocidade da lei de gerson, tornando estrelas a mídia, pf, juízes e procuradores, envolvidos ou não no mesmo refrÃO.
Até a primavera entrou de com força, com chuva e um friozinho nada baiano.
Eu vou é rever “Fabricando Tom Zé”, a última coisa DU CARALHO que vi-vi, por agora, além dos blogs aqui favoritados.
Se alguém tiver um tempinho, poste também algo DU CARALHO visto ou vivido ultimamente nesta cidade onde todo mundo é (mas não só) de Oxum.

Em cartaz

Mulata, caipirinha e música brasileira são cardápio internacional de cada esquina parisiense. Nossas delícias exploradas, assim como a chacina à língua portuguesa.

Noticias Populares

Deu bode também no Nepal ou
Empresa aérea do Nepal sacrifica bodes para "consertar" avião


A companhia aérea estatal do Nepal confirmou ter adotado uma técnica bastante inovadora para lidar com uma recente onda de problemas técnicos em suas aeronaves: a solução foi sacrificar dois bodes para agradar um deus hindu.

A Nepal Airlines tem dois aviões Boeing 757, um dos quais vinha apresentando algum problema recentemente.

A exata natureza do problema não foi revelada, mas ele havia provocado uma série de atrasos de vôos e uma certa dose de nervosismo entre os passageiros.

Desesperados, os funcionários da companhia decidiram que o deus hindu da proteção dos céus, Akash Bhairab, cujo símbolo é visto em seus aviões, precisava de um agrado.

Dois bodes sem sorte foram então encaminhados para a frente do avião e sacrificados, em plena pista do aeroporto de Katmandu.

Um representante da empresa disse que após o ritual o avião conseguiu completar com sucesso uma viagem a Hong Kong.

Minhas Frases Deles

Como diz Elisa: "Que seria da solução sem os problemas?"

Como diz Smetak: "O som é o corpo da música"

Como diz Paula : "Cuide para que suas palavras sejam melhores que o silêncio"

Como diz Karine: "O que você prefere: a loucura sabia ou a sanidade idiota?

Como diz Rodrigo: A próxima frase é falsa. A frase anterior é verdadeira."

Como diz Miga: "Vi um relógio lindo, todo escravizado de cristais swaroviski"

Confissões

Enquanto isso, na fila do confessionário:
- Sujou galera: confessei ao padre que masturbei meu noivo e ele mandou eu rezar, de joelhos, 3000 ave-marias e lavar as mãos alí, na pia da água benta.
- Nem a pau!!! Minha bunda não vai caber naquela pia!
- Naonde!... nem eu vou gargarejar com água de bunda ?

Os Certões

Ver os discípulos de Zé Celso, na Canudos do Museu, foi uma sensação ímpar. Um momento de eterna orgia e deslumbramento diante do não-lugar, do não-tempo, do não-pudor. Caralhos e Vaginas reais, distantes poucos centímetros (ou bem menos) dos espectadores-atores, deram um ar de transcendência à arena que hora era o Oficina, ora Canudos pólis, ora um lugar nenhum. Ditirambos, vinhos, esperma, velas, bodes com hemorróidas, poerias e pseudo-sangues causaram um misto de sentimentos que só a mágica do teatro pode proporcionar. Uma psicodélica experiência, onde, por momentos, a individualide era o coletivo e o coletivo era uma espécie de estado alfa(lico)… A insanidade necessária deste diretor (eterno rei… da vela!) faz de Os Sertões um efervescente celeiro de possibilidades, de descontinuidades, de desconstruções, de desorganizações… Faz daquelas horas intermináveis (que digam nossas bundas!!!) uma eterna caatinga de devaneios, onde tudo pode ser e o nada também! Espinhos tornam-se algodões , e pedras, travesseiros para as cabeças e corpos desnudos de “civilização” e de pudor; faz da poeira e do cheiro do sol encandecente, elementos de uma nova realidade de existência muito além do que se diz político, social, anárquico, contingente… Faz dele Os Certões!

Nús banheiros

De todos os que já vi, este é o mais indecente. Nos outros a gente caga, este é que caga na gente.
(Feira de São Joaquim)

Perguntas e Respostas

Depois que criou a mulher o que Deus disse?

- Ainda não é isso.

E PLANNN, criou a bicha.



Com a contribuição de Marcelo Mendonça.

Malassombrado

Ela – E aí, meu crack?
Ele – É niuma minha heroína!..
Ela – Tô na maior larica...
Ele - Ranga qualquer bagulho. Tem cocaínageladeira
Ela – Humm, que êxtase!!!
Maconha eu ia dizendo... baseado naquela questão...
Ele – Peraê... segura o loló, que tô aspirando o pó.
E lá ficou ele com o cachorro na mão, enquanto ela prosseguiu na limpeza da casa.

Noticias Populares

O bicho pega entre casais na Inglaterra ou
Bicho de estimação pode atrapalhar vida amorosa, diz pesquisa


Os solteiros britânicos estão se voltando cada vez mais para seus bichos de estimação em busca de companhia, sugere uma pesquisa encomendada por uma das maiores agências de relacionamentos do Reino Unido, a Parship.

Ter um bicho de estimação reduziria em 40% as probabilidades de encontrar o amor, segundo o levantamento.

O estudo, realizado em parceria com a empresa britânica de pesquisas de marketing YouGov, revelou que quase a metade (47%) dos 13 milhões de solteiros do país possui um bicho de estimação, gastando em média US$ 1.800 por ano com seu animal e dedicando anualmente cerca de 21 dias ao seu bem-estar.

Tratar animais como crianças, dividir sua cama com seu bicho de estimação, mimar o animal com acessórios caros ou possuir dois ou mais bichos são alguns dos hábitos que impediriam os solteiros de se relacionar com outras pessoas. Além disso, 25% dos solteiros britânicos que possuem bichos disseram que se tivessem de escolher entre seu animal e um novo parceiro, optariam pelo animal.

Os solteiros britânicos têm 1,24 milhão de gatos, 1,18 milhão de cachorros, 624 mil peixes, 436.800 hamsters, ratos ou outros roedores, 187.200 pássaros, 124 mil cavalos, burros ou porcos, 64 mil cobras e 120 mil animais exóticos -o que inclui aranhas e insetos.

Alguns dos entrevistados disseram que amam tanto seu animal que colocariam os "sentimentos" do bicho acima dos seus próprios ou dos do parceiro.

25% dos entrevistados que têm um bicho de estimação disseram que, caso o parceiro desenvolvesse uma alergia ao animal, pediriam que ele ou ela se mudasse.

Três Pontos

More quer dizer mais...

Quando você sorri meu mundo fica contente, ou melhor, continente...

Se você me vir de marrom com certeza a roupa não é minha...

As coisas que lhe escrevia, agora digo no ouvido...

Hoje estou sem vontades, se não postar o que escrevo foi porque a preguiça chegou até a ponta do dedo...

Família

quem me contou foi "Como Ninguém"

Nús banheiros

Cagaste fora do vaso? Por que não cagaste dentro?
Tens a bunda fora de esquadro ou o cú fora do centro?
(Estação da Lapa)

Saudações Baianas

Colé, meu brodi =Olá, amigo
E aí, pai? =Olá, amigo
E aí, tio? =Olá, amigo
Fala, nigrinha? = Olá, amigo
Diga aê, xibungo = Olá, amigo
Faaaala, minha puta = Olá, amigo
Diga tudo = Olá amigo
Colé misera = Olá, amigo
Digaêdisgraça = Olá, amigo
Digaê, Negão = Olá, amigo
Ô véi = Olá, amigo
Colé de mermo? = Olá, amigo.

Dona Rola

Notícias Populares

O futuro é da gilette ou
Cientista italiano diz que humanidade será bissexual

Um conhecido cientista italiano está causando grande polêmica no país depois de ter apresentado uma teoria dizendo que a espécie humana está caminhando para o bissexualismo.

Durante uma conferência, Umberto Veronesi, que é médico e ex-ministro da Saúde, afirmou que a espécie humana deve caminhar para o bissexualismo "como resultado da evolução natural das espécies".

"O homem está perdendo suas características e tende a se transformar numa figura sexualmente ambígua, enquanto a mulher está se tornando mais masculina. Desta forma a sociedade evolui para um modelo único", afirmou Umberto Veronesi, que é oncologista.

Na opinião do cientista, o sexo no futuro será apenas um gesto de demonstração de afeto e não terá fins reprodutivos. Por esta razão, defende, poderá ser praticado entre pessoas de sexos opostos ou não.

Em entrevista a jornais italianos, Veronesi reafirmou sua teoria, apontando o fator hormonal como indicador da evolução rumo ao bissexualismo. "Desde o pós-guerra a vitalidade dos espermatozóides diminuiu 50% porque as mudanças das condições de vida estão fazendo com que a hipófise (glândula responsável pela produção dos hormônios) produza cada vez menos hormônios andrógenos (masculinos)", afirma o pioneiro no tratamento de câncer de mama na Itália.

"O homem não precisa mais de uma intensa agressividade física para sobreviver", diz ele. Segundo o médico, as mulheres vem produzindo cada vez menos hormônio femininos ao longo dos anos.

A professora de sexologia da Universidade La Sapienza de Roma, Chiara Simonelli, concorda com as previsões de Umberto Veronesi.

Ela define este processo como resultado da evolução genética e da mudança de mentalidade, fenômenos que são interligados e se influenciam reciprocamente. "Mas este fenômeno está no começo. Para que tenha uma certa consistência é preciso esperar duas ou três gerações".

Saciando a Alma

Ainda penso no prazer que um acarajé quentinho e cheiroso pode oferecer num final de tarde em Salvador. Acredito que não se trata apenas de prazer, mas de uma comunhão com um sabor que singulariza a alma soteropolitana. Uma comunhão com o que se pode, talvez, chamar de baianidade… As sacerdotizas – e sacerdotes, também – servem-no como oferenda: quando ao partir, recheá-lo com as peculiares delícias, e envolvê-lo em papéis tons pastéis, como um filhotinho acariciado e tenro. Suas mãos, que transformam o feijão em um quase-manjar, são, ao mesmo tempo, ternas e fortes. Ao bater a massa, demonstram o vigor da mulher que resistiu aos caprichos históricos; ao oferecer pronto e ornamentado, exalam a docilidade feminina que transforma os calos em protuberância eficaz para o carinho, porque sabem onde dói mais naquele que sofre. Em meio à loucura urbana, uma verdadeira liturgia acontece todos os dias nas ruas de Salvador. Um cheiro de paz e de natureza exala dos tachos, à procura do homem e da mulher que vivem a correr em busca de si próprios. Um banquete perfeito que possibilita uma harmonia entre aqueles que se reúnem ao redor do tabuleiro da baiana. Com tantas inovações e sofisticados inventos culinários, o acarajé não se coloca em risco de extinção, porque, por ser um alimento de alma, é constituinte do universo soteropolitano; bainao... E, como a alma é insaciável, eternamente, ver-se-ão fins-de-tardes assim…

MALASSOMBRADO

- E na comunidade?
- Xiiiiiii, maior festa de Cosme.
- Muito Caruru?
- Não... é BALA prá todo lado.

Minhas Frases Deles

Como diz Tom Zé: "O novo dia começa um pouco depois da meia noite"

Como diz Bubba: "Deus me dê calma porque se me der força eu quebro tudo"

Como diz Mirela: "A culpa é da Zelite"

Como diz Camila: "O trabalho dignifica o homem, bom mesmo era se enriquecesse"

Como diz no vestibular: "O Brasil é um país abastardo com um futuro promissório"

CREIA !

No dia de Omolú, chega à Bahia Nossa Senhora Aparecida.
A negra veio tomar o seu banho de pipoca, em nome de Jesus!

4 anos

Elas conversam no quarto de uma delas:

- O que você vai pedir no Dia das Crianças?
Eu vou pedir uma Barbie, e você?

Ela:

- Eu vou pedir um O.B.!

A outra:

- O.B.?! O que é isso?

Ela:

- Não sei, mas na televisão disse que com O.B. a gente pode ir a praia todos os dias, andar de bicicleta, andar de cavalo, ir ao clube, correr, fazer um montão de coisas legais.

Ela conclui bem espertinha:

- E sem que ninguém perceba.

Maestro Zezinho, qual e a musica?

"Augusta, entre você e a Angélica, eu encontrei a Consolação que veio olhar por mim e me deu a mão.
Augusta, você era vaidosa, que saudade, e gastava o meu dinheiro com roupas importadas e outras bobagens.
Angélica, você sempre me deu bolo, que maldade, e até andava com a roupa cheirando a consultório médico.
Augusta, graças a Deus, entre você e a Angélica, eu encontrei a Consolação que veio olhar por mim e me deu a mão.
Quando eu vi que o Largo dos Aflitos, não era bastante largo pra caber minha aflição, eu fui morar na Estação da Luz, porque estava tudo escuro, dentro do meu coração."



Aline foi andar entre a Angelica, Augusta e a Consoloção. Antes ela andava ali pelo Rio Vermelho, Federação, Ribeira, Dique, 7 Portas e até Santo Amaro. Ela era o Centro. Aline foi para outros Mares e, como diz Tom Zé, nosso Largo do Aflitos está cada vez mais largo.

De Marinaldo do Pau Miúdo para Nilzete da Fazenda Grande

Eu queria tanto voar com você

- Eu não.

Eu queria tanto, tanto, tanto.

- Calma. Relaxa e goza.

Encontrar você, pra fazer um auê com você

- Que ansiendade, heim. Nem parece. Oh Aline, culpa sua de novo eu aqui.

Cai, cai aqui na minha mão

- Oh Baby, sacanagem ficar falando isso.

Eu não vou deixar cair não.

- Não sei se você é da Airbus, Tam, Infraero ou Anac. Mas que tá de sacanagem, tá.

Homem asa, meu balão.

- Homem asa, meu balão? Alguém quer comentar?

Você voa no céu feito gaivota

- Rapaz, o que foi que essa mulher tomou?

Você é um passarinho

- Já vejo Baby deitada no chão olhando pro céu e cantando essa música.

Cê mergulha no céu pra terra o seu ninho

- Ela continua deitada olhando pro céu e rindo.

Realizou o antigo desejo do homem voar

- Claro que ainda está lá vendo nuuuvens.

Com a sabedoria dos pássaros

- Ahh meu filho, ela não sai desse chão hoje.

Você é o dono do mundo.

- Como diz Aline: brocou.

Eu bem queria estar aí com você mas me contento em vibrar.

-Não sei se me irrito ou fico com pena dessa frase.
Muita gente se contenta em vibrar, inha, né só você não.

E te espero rezando ansiosa

- Há quantas horas você está no aeroporto, amiga?

Por uma descida tranquila, vitoriosa

- Todos nós. O Brasil inteiro.

E depois me encontrar com você e fazer um auê

- Mais auê do que tá, Baby?

CONTOS DO VIGÁRIO

Erê – seu vigário, o pintinho do meu irmãozinho parece um amendoim cozido.
Vigário – todo enrugadinho, não é?
Erê – NÃOOOOOOOOO. É salgadinho!!!!

Rapadura

MALVADEZA

Mãe e filho caminham silenciosos por entre as tumbas do Cemitério do Campo Santo em Salvador-BA, observando as inscrições nas lápides:

“Bom filho”
“Exemplo de bondade”
“Esposo fiel”
“Grande político”
“Justo e honesto”
"Incorruptível"

Curioso o guri dispara certeiro:
- Mamãe, onde é que enterram os MALVADOS desta Bahia?

Minhas Frases Deles

Como diz Monique : "Soldado morto, farda noutro"

Como diz Quintana: "Amizade é o amor que nunca morre"

Como diz Assis: "Quem não reage, rasteja"

Como diz Dorival: "Gosto tanto de mulher que quando eu nasci, olhei pra trás"

Como diz o camelô: "Aqui é a J.J Seabra mas pronuncia Baixa do Sapateiro"

Notícias Populares

Arranca-rabo debaixo d'agua no PAN ou
Beliscões e unhadas são rotina no Pólo Aquático.


Hematomas, arranhões e pernas doloridas. A vida das atletas do pólo
aquático estava longe de ser tranqüila dentro da piscina no Pan do Rio.
Durante os jogos era uma guerra invisível entre as jogadoras.
No Pólo Aquático receber puxões no maiô é normal. Beliscões nos seios também.

- A Marina está com um peito todo roxo. Eu ainda não vi o meu, mas o
que a gente sofre embaixo d'água ninguém tem noção, diz a jogadora
da seleção brasileira, Camila Pedrosa.

As brasucas, obviamente, também não são só vítimas. Elas também dão
unhadas, beliscões. Mas, de acordo com o árbitro Décio Patelli, em uma
escala menor.

- As brasileiras são bem disciplinadas. Elas têm um jogo mais parecido
com Canadá e Estados Unidos. Já as latinas são bem complicadas, batem mesmo, declara o juiz.

4 anos

Ele está na fazenda passando férias. Na primeira noite, fala de seu quarto para a mãe ouvir:

- MÃAAE não consigo dormir.

A mãe com toda paciência do mundo:

- Por que, filho?

Ele continua, em tom de resmungo:

- Eu ouvo o barulho dos bichos.

A irmã, na cama ao lado, corrige:

- Não é ouvo. Ovo é o que a galinha bota. É ouço.

Ele olha para ela e responde cheio de si:

- NÉ NADA. OSSO É O QUE O CACHOORRO COME.

Minhas Frases Deles

A professora Carmem Caballero, 39, assistiu firme às cenas ao vivo do acidente da TAM, na terça-feira. Tinha esperança de que a mãe, Maria Elizabete Silva Caballero, 65, e duas filhas, Júlia, 14, e Maria Izabel, a Mimi, 10, não estivessem ali.

Quando ouviu a confirmação do mesmo número do vôo em que estava parte de sua família, desabou.

"Acho que só estou de pé agora por causa da única filha que me restou, a Lilian, de três anos. E das orações de amigos, de parentes e de pessoas que nem conheço, mas que me param na rua para dar um abraço." Júlia, Mimi e a avó voltavam de férias no sul para São José do Rio Preto (interior de São Paulo), onde moravam.


FOLHA - Como a senhora ficou sabendo do acidente?

CARMEM CABALLERO - Vi na TV, mas não tinha certeza de que era o vôo delas. Estava tranqüila, não tive nenhum pressentimento. Acho que Deus estava me preparando para o pior. Fui procurar as reservas para ver o número de vôo. Primeiro, divulgaram um número errado, e fiquei aliviada. Quando corrigiram, e vi que era o mesmo, eu caí de joelhos, comecei a gritar, dizia que eu não acreditava. Meu marido teve que me segurar, mas eu só repetia: "Era o vôo delas, era o vôo delas...".

FOLHA - Qual foi a última vez que falou com as meninas?

CARMEM - Foi no sábado. Viajei domingo e só conversamos antes. Eu tinha ido assistir ao novo filme do Harry Potter, que elas adoravam, e ficaram me perguntando o que acontecia.
Para não estragar a surpresa, porque elas iam ver assim que chegassem, não contei muitos detalhes... Elas não vão poder mais ver. Nem ler o último livro. Lemos os outros seis juntas e discutimos várias vezes se Harry Potter ia morrer no final ou não. Júlia tinha certeza que sim, Mimi [Maria Izabel] dizia que não, que não era justo...
Vou comprar o último livro e ler em voz alta, assim pelo menos minhas filhas vão poder ouvir lá do céu...

FOLHA - Qual é o momento mais difícil do dia para a senhora?

CARMEM - É de manhãzinha. Agora não tenho ninguém mais para acordar cedinho... O quarto da Júlia, a mais velha, fica bem em frente ao meu... Não sei o que vou fazer com ele. Nós tínhamos planejado mudar a decoração e, enquanto ela estava viajando, eu já tinha escolhido algumas cores, os motivos...
Ela faz dança do ventre e queria uma decoração indiana. Íamos começar as mudanças nesta semana.
Tenho tanta saudade da voz delas, daquele falatório que ficava aqui em casa. Eu não tinha tempo para nada. E agora sei que era feliz daquele jeito. Tudo que eu fazia, elas iam junto, eram grandes companheiras, a gente brincava que eram meus carrapatozinhos. Agora, nada mais tem graça.

FOLHA - Além das suas filhas, sua mãe também estava no vôo...

CARMEM - Foi tudo junto. Fiquei órfã e sem minhas filhas. Perdi o amor materno e estou sofrendo por causa desse mesmo amor. Minha mãe não era melosa, de beijar, de abraçar, mas ela era atenciosa, prática, resolvia tudo. Era a alma da nossa família.

FOLHA - A senhora acompanhou os desdobramentos pela TV?

CARMEM - Não assisti a muita coisa, mas vi aqueles dois energúmenos fazendo aquele gesto [o assessor da presidência, Marco Aurélio Garcia, flagrado por câmeras ao lado do assessor Bruno Gaspar fazendo gestos obscenos após assistir à reportagem sobre defeito no avião da TAM]. Foi uma pouca vergonha e pior ainda foi o presidente Lula não ter sido homem o suficiente para demiti-los. Achei uma infâmia o Lula demorar tanto tempo para falar.
Como homem, ele devia ter entrado no ar cinco minutos depois para dar as condolências, naquela hora, eu não queria nenhuma explicação, só precisava de palavra de consolo, de solidariedade... Pensei em me mudar do Brasil, não pelas pessoas, mas pelos governantes.

FOLHA - Quem a senhora acha que é o responsável pelo acidente?

CARMEM - A última pessoa que eu responsabilizaria é o piloto. Acho que foi falha humana, mas dos altos escalões. Tem muito irresponsável dirigindo este país. Dá até vergonha.

FOLHA - Se pudesse, o que gostaria de dizer para elas agora?

CARMEM - Eu sempre falava que as amava muito. Elas sabiam disso, mas queria que você escrevesse, por favor, como uma última homenagem, que eu amo minhas filhas demais...

Reportagem:
DANIELA TÓFOLI

O Hétero Enrustido

Minhas Frases Deles

Como diz Bruno: "Juizo faz mal a bebida"

Como diz Monica: "I love you too much but você não estava aqui no Sao João"

Como diz Sacha: "Dei um tapa com luva de película"

Como diz Diego: "Minha situação está pecuária"

Como diz Bagagerie: "Sem mancha de dúvidas"

Notícias Populares

Baiano trabalha sim. Hoje mesmo é feriado e eu estou aqui ou
Preguiça baiana" é faceta do racismo.

A famosa "malemolência" ou preguiça baiana, na verdade, não passa de racismo, segundo a tese de doutorado da professora de antropologia Elisete Zanlorenzi, da PUC. Ela sustenta que o baiano é muitas vezes mais eficiente que o trabalhador das outras regiões do Brasil e contesta a visão de que o morador da Bahia vive em clima de "festa eterna".

"Pelo contrário, é justamente no período de festas que o baiano mais trabalha. Como 51% da mão-de-obra da população atua no mercado informal, as festas são uma oportunidade de trabalho. Quem se diverte é o turista", diz a antropóloga.

O objetivo da tese foi descobrir como a imagem da preguiça baiana surgiu e se consolidou. Elisete concluiu que a imagem da preguiça derivou do discurso discriminatório contra os negros e mestiços, que são cerca de 79% da população da Bahia.

A imagem de povo preguiçoso se enraizou por meio da elite portuguesa, que considerava os escravos indolentes e preguiçosos, devido às suas expressões faciais de desgosto e a lentidão na execução do serviço (como trabalhar bem-humorado em regime de escravidão?).

Depois, se espalhou de forma acentuada no Sul e Sudeste a partir das migrações da década de 40. Todos os que chegavam do Nordeste viraram baianos. Chamá-los de preguiçosos foi a forma de defesa encontrada para denegrir a imagem dos trabalhadores nordestinos (muito mais paraibanos do que propriamente baianos), taxando-os como desqualificados, estabelecendo fronteiras simbólicas entre dois mundos como forma de "proteção" dos seus empregos.

Elisete afirma que os próprios artistas da Bahia, como Dorival Caymmi, Caetano Veloso e Gilberto Gil, têm responsabilidade na popularização da imagem. "Eles desenvolveram esse discurso para marcar um diferencial nas cidades industrializadas e urbanas. A preguiça, aí, aparece como uma especiaria que a Bahia oferece para o Brasil", diz Elisete.

Segundo a tese, a preguiça foi apropriada por outro segmento: a indústria do turismo, que incorporou a imagem para vender uma idéia de lazer permanente "Só que Salvador é uma das principais capitais industriais do país, com um ritmo tão urbano quanto o das demais cidades."O maior pólo petroquímico do país está na Bahia, assim como o maior pólo industrial do norte e nordeste, crescendo de forma tão acelerada que, em cerca de 10 anos será o maior pólo industrial na América latina.

A antropóloga pesquisou jornais de 1949 até 1985 e estudou o comportamento dos trabalhadores em empresas. O estudo comprovou que o calendário das festas não interfere no comparecimento ao trabalho. O feriado de carnaval na Bahia coincide com o do resto do país. Os recessos de final de ano também. A única diferença é no São João (dia 24 /06), que é feriado em todo o norte e nordeste (e não só na Bahia). Em fevereiro (Carnaval) uma empresa, cuja sede encontra-se no Pólo Petroquímico da Bahia, teve mais faltas na filial de São Paulo que na matriz baiana (sendo que o n° de funcionários na matriz é 50% maior do que na filial citada). Outro exemplo: a Xerox do Nordeste, que fica na Bahia, ganhou 2 prêmios de qualidade no trabalho dados pela Câmara Americana de Comércio (e foi a única do Brasil).

Acredita-se hoje (e ainda por mais uns 5 a 7 anos) que a Bahia é o melhor lugar para investimento industrial e turístico da América Latina, devido a fatores como incentivos fiscais, recursos naturais e campo para o mercado ainda não saturado. O investimento industrial e turístico tem atraído muitos recursos para o estado e inflando a economia, sobretudo de Salvador, o que tem feito inflar também o mercado financeiro (bancos, financeiras e empresas prestadoras de serviços como escritórios de advocacia, empresas de auditoria, administradoras e lojas do terceiro setor).

Cantadas Fora do Tom

Ela se produziu toda para ir a um ensaio. Chegando lá, um cara fortão, suarento tira ela para dançar. Para não arrumar confusão, ela aceita. Mas o cara suava tanto que ela já não estava suportando mais.

Ela diz:
- Você SUA, hein.

Ele puxou ela, lascou um beijo e respondeu:
- Também vô sê seu, minha princesa.

Trocadalhos do Carilho

"Quem quiser subir que toque fogo no rabo"

Minhas Frases Deles

Como diz Ricardo: "Às vezes vou tão fundo no passado que chega arde"

Como diz Sebastien : "O dia mais perdido de todos é aquele em que não se riu"

Como diz Polyanna: "Fale mais alto ai que eu estou rouca"

Como diz Guel: "Nunca discuta com um idiota: você vai se rebaixar e ele vai ganhar porque tem mais experiência"

Como diz Maria Jose: "Eu quero é saber a colé de colé"

Como diz Elisa:"Eu tô página "

Portugal


Manda aquele puto e a rapariga entrar na bicha, que eu vou com o miudo a deitar este garoto no lixo.
Puto=jovem / rapariga=moça / bicha=fila / miudo= criança / deitar= jogar / garoto= café com leite

Notícias Populares

Vamos funfar pra base de 8 horas ou

Estudo aponta que 12% dos brasileiros marcam hora para sexo

Marcar hora para transar pode contrariar a lógica do desejo, mas é mais comum do que parece. O sexo previamente agendado é o habitual de 41% dos chineses que participaram de um estudo sobre rituais -o Brasil está em segundo lugar nessa lista.
O estudo, da agência de publicidade BBDO Worldwide, ouviu mais de 5.000 pessoas de 26 países e concluiu que, de forma geral (78%), a espontaneidade ainda impera.

O gerente comercial Sandro Sabag, 37, e sua mulher, a bancária Cláudia Bechelli, 36, Pais de 2 filhos pequenos dizem que é difícil deixar apenas por conta do desejo."Se não marcar hora, não rola", brinca Sabag. "Não temos regra fixa, mas durante a semana, por exemplo, é praticamente impossível. No fim de semana, e mesmo assim só à noite, é mais fácil de conseguirmos". Conseguir não é modo de dizer. Como Cláudia ainda está amamentando, dorme pouco. "Às vezes, tenho vontade, mas não tenho disposição, e temos que aproveitar", diz. "No geral, é "Vamos"? "Vamos!", conta.

Segundo a psiquiatra Carmita Abdo, coordenadora do Projeto de Sexualidade da USP e autora de "Descobrimento Sexual do Brasil", não é raro que no tempo livre da mulher com filhos pequenos ela esteja esgotada fisicamente. "Mas notamos que, em casais em que a participação masculina nos cuidados das crianças é maior, a disponibilidade sexual da mulher também aumenta."

67% dos entrevistados disseram que gostariam de fazer sexo espontâneo, se pudessem. Quem tem vida profissional e sexual ativa escolhe -mais por necessidade e menos por gosto- ter relações à noite ou pela manhã na semana. "Eles procuram não combinar nada para o fim de semana."

A professora Julia Arantes, 31, contraria isso. Como ela e o namorado ainda moram com os pais, reservam sextas-feiras e sábados para o sexo. "Eu não gosto muito, acho artificial. Às vezes parece que é obrigação, temos que transar porque não transamos a semana inteira."

Doutora em psicologia clínica e professora da PUC, Sandra Dias vê com reserva todo esse agendamento. "Tudo é transformado em objeto de consumo. Até relações amorosas e sexuais, que são da ordem do imprevisto, agora são planejadas."

Plano inclinado

(senhora brasileira) No Brasil pessoas acima de 60 anos tem lugares reservados em transportes publicos

(senhor portugues) Ora pois, fico a pensar, se la no Brasil tudo e tao bom, porque os brasileiros veem para Portugal, que e a terra da desgraça?

(senhora brasileira) Um dia foram vcs, agora somos nos que estamos vindo para suas terras

(senhor portugues) Quando os portugueses chegaram no Brasil nao tinha ninguem que trabalhasse, precisava pois de homens de verdade para construir e tocar aquele lugar

(senhora brasileira) Por isso que digo, agora e nossa vez de construir, ensinar e tocar vossa terra

4 anos

Na escola sempre que tinha reunião com professores ou festinha, principalmente dia dos pais, ficava aquele perguntê.

A mãe resolveu então contar pra ela todo o processo de inseminação artificial, bem explicadinho, detalhe por detalhe. Assim, ela não ficaria fantasiando sobre seu pai.

Até que numa festinha de aniversário, o pipoqueiro, querendo puxar papo, pergunta inocentemente:
- Cadê seu pai?

Ela, agora munida de informações, diz com uma certa impaciência entre os dentinhos e com as mãozinhas explicativas:
- Eu não tenho pai, eu fui comprada.

De Marinaldo do Pau Miúdo para Nilzete da Fazenda Grande

Tenho um coração

- Ainda bem né?

Dividido entre a esperança e a razão

- Ai meu Deus, começou.

Tenho um coração, bem melhor que não tivera.

- Fala isso não, rapaz, tanta gente esperando por um e você ai falando merda

Esse coração não consegue se conter ao ouvir tua voz.

- É...você tem problemas mesmo. Uma disfunção. Cuidado, se tiver um ataque fica surdo.

Pobre coração sempre escravo da ternura

- Nessa época o pessoal fazia cada música estranha

Quem dera ser um peixe.

- Peixe? Você queria ser um PEIXE?

Para em teu límpido aquário mergulhar

- Já vi chamar de tudo, agora aquário é a primeira vez.

Fazer borbulhas de amor pra te encantar

- Como é isso? Borbulhas de amor?? Alguém ai já fez borbulhas de amor?

Passar a noite em claro, dentro de ti.

- Tem certeza que é o animal é peixe? Né pinto não?

Um peixe para enfeitar de corais tua cintura.

- Dizer o que?

Fazer silhuetas de amor à luz da lua

- Isso eu queria ver. Sei não você: borbulhas, silhuetas, enfeitar a cintura, ai depois vem com a frase abaixo.

Saciar essa loucura dentro de ti.

- Ô meu peixe, assim você vai esfolar a menina.

Canta coração

- Agora é isso: o coração ouve, canta. E você nem queria ele.

Que esta alma necessita de ilusão

- Eu necessito ir embora

Sonha coração, não te enchas de amargura

- Mais uma coisa? Ouvir, cantar, sonhar. Ele bate?

Uma noite para unir-nos até o fim.

-Tu tá necessitado mesmo, viu. Que peixe é esse?

Cara-cara, beijo a beijo.

- Cuidado com esse aquário, viu.

E viver para sempre dentro de ti

-Não vai tirar nem um pouquinho? Ai eu vi.
Em passos largos e velozes, homens e mulheres embacam e desembarcam da Estação da Luz e nem se quer se dam conta porque a chamam de Luz! Adoro esse nome!

Lápides - Reedição Ampliada

A minha vai ser :
Já fui, Banda Mel.

Ricardo:
Se eu pudesse ficava mais.

Val:
Desculpe a minha existência.

Anônimo:
Este lado para cima.

Marcos:
Pô, tava massa.

Ualace:
É! Desta vez me fudi, mas não se preocupem, eu voltarei.

Anônimo:
Está escuro aqui.

Danielle:
Se eu não voltar em 15 minutos, já era.

David:
Por quê parou? Parou por quê?

Dani:
Tá olhando o que?

Biliu:
Tire o olho, senão eu puxo o pé.

Bob:
Fui dar um rolé e já volto.

Catarina:
Se saia que eu tô quebrando.
(em homenagem a Aline)

Marcelo:
A PARADINHA...DINHA, DINHA, DINHA, DINHA, DINHA.

Roberta:
Se eu soubesse que era tão difícil viver tinha pedido para não nascer.

Patymichele:
"Valeu a pena, ê ê! Valeu a pena, ê ê!"

Ali:
Eu disse pá qui vim, mas não sei pá onde eu vou: tcháaaaaaa!!!

Marcelo:
Calor da porra

Fabio:
VEM COMIGO!

Djaman:
A gente se vê logo, logo

Benício Golfinho:
Logo mais você me esquece

Thiago:
Um Martine com uma azeitona, por favor.

Joana:
Quem está tomando conta do lojinha?

Joana:
Aqui jaz joaninha,
que a família descanse em paz.

Márcia:
Uma coca-cola num copo ALTO, com MUITO gelo E SEM LIMÃO.

Alfredo:
Quando eu morrer quero uma cova bem funda, para quem passar não pisar na minha bunda.
ENFIM, NÃO TÔ PRÁ NINGUÉM.

Patricia:
Aqui jaz eu morena, jovem e diva.

ETC:
Ói, na moral. Da outra vez, quero vir cachorro.

Cartaxo:
Dá tempo de pedir a saideira?

Johnny:
Agora que morri tão chorando? Nada disso, quero é ALEGRIA, festa, farra pra lembrarem de mim.

Bruno:
Desculpe ter lhe visto.

Kiki:
Tem coisas que só a Philco faz por você.

Alyne Costa:
Fiz o que pude.

Cau :
O último que sair feche a luz.

Anaïs:
O diabo que se cuide, tô chegando

Daiane:
Fui!

Anônimo:
Venha!Venha!Venha!


O homem dos cadernos grampeados:
Aqui jaz aquele que dela sempre fugiu.
Que dela só escapa agora.

Fabio:
Ô mãe, acende a luz aí.


Se quiser deixar a sua, é só escrever aqui que vai ficar para a posteridade.