Notícias Populares

Vamos funfar pra base de 8 horas ou

Estudo aponta que 12% dos brasileiros marcam hora para sexo

Marcar hora para transar pode contrariar a lógica do desejo, mas é mais comum do que parece. O sexo previamente agendado é o habitual de 41% dos chineses que participaram de um estudo sobre rituais -o Brasil está em segundo lugar nessa lista.
O estudo, da agência de publicidade BBDO Worldwide, ouviu mais de 5.000 pessoas de 26 países e concluiu que, de forma geral (78%), a espontaneidade ainda impera.

O gerente comercial Sandro Sabag, 37, e sua mulher, a bancária Cláudia Bechelli, 36, Pais de 2 filhos pequenos dizem que é difícil deixar apenas por conta do desejo."Se não marcar hora, não rola", brinca Sabag. "Não temos regra fixa, mas durante a semana, por exemplo, é praticamente impossível. No fim de semana, e mesmo assim só à noite, é mais fácil de conseguirmos". Conseguir não é modo de dizer. Como Cláudia ainda está amamentando, dorme pouco. "Às vezes, tenho vontade, mas não tenho disposição, e temos que aproveitar", diz. "No geral, é "Vamos"? "Vamos!", conta.

Segundo a psiquiatra Carmita Abdo, coordenadora do Projeto de Sexualidade da USP e autora de "Descobrimento Sexual do Brasil", não é raro que no tempo livre da mulher com filhos pequenos ela esteja esgotada fisicamente. "Mas notamos que, em casais em que a participação masculina nos cuidados das crianças é maior, a disponibilidade sexual da mulher também aumenta."

67% dos entrevistados disseram que gostariam de fazer sexo espontâneo, se pudessem. Quem tem vida profissional e sexual ativa escolhe -mais por necessidade e menos por gosto- ter relações à noite ou pela manhã na semana. "Eles procuram não combinar nada para o fim de semana."

A professora Julia Arantes, 31, contraria isso. Como ela e o namorado ainda moram com os pais, reservam sextas-feiras e sábados para o sexo. "Eu não gosto muito, acho artificial. Às vezes parece que é obrigação, temos que transar porque não transamos a semana inteira."

Doutora em psicologia clínica e professora da PUC, Sandra Dias vê com reserva todo esse agendamento. "Tudo é transformado em objeto de consumo. Até relações amorosas e sexuais, que são da ordem do imprevisto, agora são planejadas."

6 comentários:

anais disse...

ah não ... tenha dó ... hora marcada prá trepar .... ninguém merece!!!! kkkkk

Ciça Donner disse...

Ah mana, aqui em casa essa coisa de hora marcada nao funciona nao. Eu e meu marido temos um problema sério com relogio. Gracas a Deus nosso quarto tem chave hehehe

Diogo Lyra disse...

O pior é que, se o cara brochar, ela vai dizer que "isso não estava nos planos"...

Menáge à Trois disse...

Acho que esse negocio de marcar hora é engraçado, mas acontece e muitas vezes não é a gente que marca, é o próprio corpo.

Eu, por exemplo, fico mais 'faminta" nos dias de semana,a tarde de preferencia, logo depois do almoço.
De noite eu sou um tédio!!

Bjos meninos, adorei o blog.
Passem no nosso.

Valquiria disse...

Seria interessante saber o que esses mesmos maridos que fazem sexo com hora marcada, fazem enquanto suas esposas cuidam dos afazeres domésticos e dos filhos.
rsss

camila disse...

palmas para o primeiro títulooooo! hahaha!