L de Poesia

Na inversão de cores
na tela que você lança as flores
As borboletas fogem
na incerteza de um dia feliz.

Na inversão das dores
no pesar em que ficam os amores
Os papéis mudam
mas não sou atriz.


E vão se entristecer os amantes de ininterruptos olhares
daquele inferno, o nosso melhor lugar
e a voz de dentro faz a pergunta voraz:
O que você faria para esquecer
aquele amor, o dia, o jamais?

6 comentários:

Marcelo Mendonça disse...

Muito lindo!

Irene Carballido disse...

Como diz Hebe, tenho uma invjinha boa do Let escreve.

Letícia disse...

Lindo!!! A cara da primavera que está chegando!!

Pérola Anjos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pérola Anjos disse...

A primavera traz as flores e os amores que nunca se foram...

Lindo!

Beijos!

A viajante disse...

amor não se esquece, se guarda, se acumula, se vive, se vai...