"todo Carnaval tem seu fim."

O carnaval de marchinhas e estandartes não existe mais.

A sociedade em que vivemos nos dias de hoje, é talvez tão banal e perdida que se justifique o carnaval atual. Vivemos numa sociedade, e como modista, consumista, que a imagem vale mais do que tudo, com valores contrários, e de forma redundante, capitalista.E de tão capitalista, o carnaval se transformou em um grande negócio. Milhares de reais, e por que não, dólares, são gastos e ganhos. Faturam-se, vendem-se.

A magia de uma festa tão bonita, contada pela boca de minha avó, dos tempos que se levavam cadeiras para a Avenida Sete, foi perdida. Ainda me deparo com comentários que dizem que o carnaval é a festa mais democrática! “A maior festa popular e democrática do mundo”. Talvez já tenha sido, mas hoje o que se vê, é milhares de pessoas divididas por uma imensa corda, enquanto aqueles que ficam ali no meio dela, segurando-a , dividem os privilegiados dos blocos com a pipoca, murros e empurrões, segundas de cigarro e resto de cerveja, e por que não?

E se não bastasse, quando não, você precisa olhar para o chão, para não pisotear os catadores de latinha, que realmente mergulham numa multidão para ganhar alguns trocados. Os camarotes cada vez mais sofisticados e caros, para o mínimo da população. Democrático, não?

É o lugar onde os amores começam e terminam num piscar de olhos.

E esses “artistas” mais do que ricos, cantando um monte de baboseiras, futilidades, sentimentos rasos, e se duvidar, com os mesmos acordes, o mesmo bordão, as mesmas melodias chatas e clichês.

Onde está a cultura brasileira? No bolso de alguém, provavelmente.
Gosto é que nem cu, e mau gosto também. Isso é falta de cultura. A alienação atual do jovem brasileiro.

Mas é isso, de certa forma, todos se divertem, abrangendo todas as classes de A a Z, até quem assiste pela TV (e que transmissão cara). Todos se esquecem dos problemas, dos abismos sociais, corrupção, até quando em um certo ano, o governo adotou medidas provisórias e aumentos. Mas o que vale é isso, a diversão. Os abadás de determinado bloco, esgotou um ano antes do carnaval.

Bom Pão e Circo para vocês.

Ponto de Ônibus

- Já comeu ?
- Comidaquilo.
- De novo?... Não enjoa?
- Qui nada, A-DO-RO !!!!!!!!
- A cozinheira deve ser boa...
- CO-ZI-NHEI-RO meu bem...
- Comé qui cê sabe?
- Foi DAQUILO que COMI e é TUUUUUUUUUDO de bom.

Contos do Vigário

Por entre a máscara e o capuz, seus olhos arregalados eram assustadores. As mãos enormes me dominavam com violenta determinação. Apavorado e trêmulo eu gemia e chorava, com o corpo paralisado pela dor e o pânico.
Insensível ao meu desespero, penetrou minha cavidade com vigor cruel. Algo rígido e quente dilacerou-me com movimentos repetidos e frenéticos, enquanto me banhava, emitindo sons que igualmente me feriam.
Comecei a sangrar e ao misturar-se ao líquido que ele impiedoso jorrava sobre mim, meu sangue parecia-me cada vez mais abundante.
Sem controle sobre o corpo enrijecido e a densa saliva espumosa expelida pelos cantos da boca, percebi meu peito ofegante, encharcado e pegajoso.
A hora ali passada foi mais que uma eternidade. Ao seu comando levantei-me apressado, com o lado esquerdo do rosto privado de qualquer sensibilidade e indiferente às dores e seqüelas resultantes daquele embate.
Sem objetar, entreguei-lhe todo o dinheiro que tinha em meu poder naquele momento. Pagaria qualquer preço, para me livrar definitivamente daquele pesadelo.

Meu dentista é ducaralho, mas cada consulta é sempre este mesmo drama.

Nús banheiros

Se suas saias rodadas não entram nem cabem aqui,
onde é que MIJAM as baianas na Lavagem do Bonfim?
(Banheiro químico no Largo dos Mares)
do que adianta você dormir agarrada nele,
se você toda noite pensa em mim

do que adianta você trepar com ele,
se você deseja que fosse eu ali em cima de você

do que adianta você acordar e dá bom dia pra ele,
se seu primeiro pensamento do dia se eleva até a mim

do que adianta estar com ele,
se você quer a mim



dissimulada
e


acomodada

e por isso me apaixonei.


.
.

Ponto de ônibus

- Oi, quanto tempo.
- Pois é, feliz Ano Novo! Xiiiiii, lá vem meu Buzú.
- Prá você também, tá morando onde?
- No mesmo lugar, me ligue.
- Tchau!
- Tchau!
Depois da primeira curva, a dúvida:
- Oxente, mas você não se mudou, logo depois do Natal?
- Pois é, mas se eu fosse explicar, tin tin por tin tin, que tô morando agora no Remanescente dois do Conjunto Cajazeiras cinco, caminho trinta e sete, casa três, fundos. Perdia o meu Buzú, meu bródi.

Minhas Frases Deles

Como diz Let: "Não, não pode ser 5h porque ainda nem deu 6h"

Como diz Tito: "Que falta de coincidência"

Como diz Robson: "Cada dia é cada dia, cada um é cada um"

Como diz Seu Quinho: "Carro e criança não se pode ter confiança"

Como diz Bia: "Ela veio na mesma época que ele, conhecidentemente"

Na escolinha do interior: "Matriculaz abertas"

Maestro Zezinho, qual é a música?

" sujar o pé de areia pra depois lavar na água, lavar o pé na água pra depois sujar de areia, esperar o vaga-lume piscar outra vez, ouvir a onda mais distante por trás da onda mais próxima, respirar, sentir o sabor do que comer, caminhar, se chover, tomar chuva, ter saudade no final da tarde para quando escurecer esquecer, ao se deitar para dormir, dormir, sujar o pé de areia pra depois lavar na água, lavar o pé na água pra depois sujar de areia, esperar o vaga-lume piscar outra vez, ouvir a onda mais distante por trás da onda mais próxima, sujar o pé de areia pra depois lavar na água, respirar, sentir o sabor do que comer caminhar, se chover, tomar chuva, não esperar nada acontecer, ser gentil com qualquer pessoa "


Essa música de Arnaldo Antunes pra mim era a cara do Réveillon de 2007 em Moreré. Mas agora também tem tudo a ver com Algodões. É a trilha perfeita para esses dias, e a última frase, para uma cena que vi na noite do Ano-Novo.

Lola, a espanhola dona de um restaurante/loudge/pousada na beira do mar e de um rio, reuniu, nas últimas horas do ano, seus 6 funcionários e serviu para eles o jantar que ela própria preparou enquanto seu filho de 8 anos ia pondo os pratos na mesa.

Até aí uma cena muito bonita. Mas ela ficou ainda mais deliciosa de ver, quando Lola trouxe para seus "convidados" grandes lagostas. E ela e seu filho(que fez um brinde desajeitado mas muito lindo) compartilharam esse banquete com os sorridentes funcionários, recém-treinados e que nos 4 dias que fiquei ali, nos serviram entradas, pratos e sobremesas deliciosos, de modo gentil, depois de um banho e de lavar o pé na água e sujar na areia.

Notícias Populares

Superstição causa aumento de casos de estupros de menores na Nigéria ou

Sacanagem cura AIDS na Nigéria.

A polícia nigeriana denunciou um aumento no número de casos de violência sexual contra menores de idade. Segundo fontes locais, os casos são motivados pela crença de que o ato poderia curar a Aids ou trazer fortuna.

Nos últimos meses as autoridades prenderam mais de 60 pessoas, entre 45 e 70 anos culpadas de terem abusado de crianças entre 3 e 11 anos. O fenômeno, em crescimento, não pode ser quantificado com precisão porque muitos decidem não denunciar os estupros por questões de honra familiar.

Em diversos países da África há a crença de que a relação sexual com uma mulher virgem pode curar a Aids de um homem.

Cantadas Fora do Tom

Ele está na festa de Reveillon e nas primeiras horas de 2008 já começa a dar em cima das meninas. Chega desejando Feliz Ano-Novo e em seguida vai dizendo:

- Você acredita que eu não beijei ninguém esse ano?