Momento Poema

Você é um Pollock

Um legítimo quadro feito no chão caoticamente com tintas indecifráveis

Um Vick Muniz

Hoje somos sucata, mas fomos chocolate

Eu vou te guardar como um grafite de OsGêmeos

Como um Miró

Como um segredo que todo mundo sabe

Vou colocar na parede, no teto, em toda parte

Porque em mim você não cabe

Expor, afinal ninguém é mesmo dono de obra de arte

Você é minha Guernica

O meu que é seu---meu de todomundo

Não vou esperar o curador

Para mais um vernissage

Tenho que te tirar de mim logo

Colocar você num cofre que todo mundo tem a chave

Porque quanto mais te guardo, mais você vale.

10 comentários:

Ricardo Castro disse...

Lindo demais! Obra de arte é você!

Letícia Ribeiro disse...

do caralho, demais da conta

êeeeeea painho.

Dani (ela) disse...

daí tô procurando um elogio artístico... agora não acho. vc gastou quase todos ;D

lindo!

A viajante disse...

Difícil não viajar nas suas entrelinhas... muito bom!

Iasmine Amazonas disse...

Pintou os versos sem afresco
e fez um belo quadro.

Anônimo disse...

...num moldura clara e simples...

Edu disse...

Adorei!

Especialmente os 2 últimos versos.

Marina disse...

Se a obra veio mesmo de uma sucata ou calda de Muniz... qualquer outro deleite fica curto! Linda arte... Lindo poema!

Kass... Santos disse...

Incrível, simplesmente INCRÍVEL!

Roberto Nobre disse...

Aloha!
Tem um selinho pra você lá no meu blog.
Confira: http://nobrearte.blogspot.com/2010/06/selinho-para-blogs.html

Abraços!