Notícias Populares

Polícia mata antes e pergunta depois.

Na noite de segunda-feira (14), uma perseguição policial resultou na morte do administrador Luiz Carlos da Costa, 36, que era mantido refém no carro por um assaltante. Os PMs disseram acreditar que os dois eram criminosos.

À Polícia Civil, antes de saber que a pessoa morta era vítima de assalto, os policiais disseram que perseguiram o veículo e atiraram para revidar tiros disparados por "bandidos". O suspeito, que também estava no carro, ficou ferido e foi internado em estado grave.

No último dia 6, o menino João Roberto Amorim, 3, morreu durante ação da PM no Rio. A mãe do menino havia encostado o carro para dar passagem aos policiais, que perseguiam supostos ladrões de carro. Os dois policiais confundiram o veículo com o carro dos supostos assaltantes e atiraram, segundo o secretário estadual de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame.


Delegado sofre pressão na PF e deixa caso Dantas

O delegado Protógenes Queiroz e mais dois delegados que atuam na Operação Satiagraha
deixaram a investigação após uma tensa reunião com delegados enviados pela cúpula da direção geral da PF.

Reportagem publicada na Folha
revela que os delegados sentiam-se boicotados pela PF. Queiroz foi "convidado" pela direção geral da PF a se afastar das investigações por causa de supostos excessos cometidos durante a operação.

Segundo a PF, os delegados deixaram as investigações por motivos pessoais, Queiroz, por exemplo, deixou o inquérito para realizar um curso obrigatório.

No mesmo dia em que foi definida a saída de Queiroz o diretor-geral da Polícia Federal, Luiz Fernando Corrêa, entrou em férias.

O ministro Tarso Genro (Justiça) disse na noite desta terça-feira que é uma coincidência
o afastamento de Queiroz das investigações e o fato de Corrêa tirar férias neste mesmo período.

Sabe o que um fato tem a ver com o outro?

Acertou: nada.

Não vai dar em nada.

12 comentários:

Ricardo Dib disse...

(...)

Beauvoir disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Beauvoir disse...

Um escândalo de corrupção dar em em nada, no Brasil, é uma grande novidade...
¬¬'

Letícia Ribeiro disse...

eu sempre tive mais medo de polícia do que de ladrão.

Marina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marina disse...

aiaiai... eu vejo essas coisas e penso: "pelo menos eu nao tenho o peso na consciência de ter votado nesses caras"... e também nao votei no outro: eu simplesmente só justifico há anos, por trabalhar em locais distantes e remotos.

Triste, triste... quem se dedica pra fazer a coisa certa, é convidado a sair do trabalho...

Adoro meu país, mas nao tenho vontade de voltar a viver aí... Aqui em Munique é tranquilo... nada como andar pelas ruas a qualquer hora do dia ou da noite sem os sustos que atormentam os cidadaos de bem nas cidades brasileiras.

Rodrigo Carreiro disse...

nada = pizza

Anônimo disse...

Principalmente se for para o STF - SUPREMO TRIBUNAL DAS FACILIDADES.

Heracilio

Cafundó disse...

Senão vejamos, A PF deve saber o que faz... e se não souber é por falta de quem ensine....
Senão vejamos....

Anônimo disse...

Como dizia Lucio Flávio na decada de 70, pra quem nao lembra, era aquele famoso e perigoso do Rio de Janeiro. "Policia e ladrão é a mesma coisa."

Anônimo disse...

onde anda vc marcelooooooo!! ha meses q nao da sinal de vida.

Marcelo Mendonça disse...

foi mal... tinha morrido, mas já ressucitei! bjooooooooo